Zeroes (Scott Westerfeld)

Zeroes-final-cover-450

Autor: Scott Westerfeld

Ano: 2015

Gênero: Jovem Adulto/Super heróis

Resenha: Zeroes é o primeiro de uma trilogia de livros resultado de uma colaboração entre três autores: Scott Westerfeld, Margo Lanagan e a Deborah Biancotti. Eu não tenho problemas com colaborações, até gosto muito, tipo Deixe a Neve Cair (John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle), acho que esses livros mostram pra gente como escrever pode ser um processo mais social e divertido ❤

Zeroes fala sobre um grupo de adolescentes que tem poderes especiais, mas são péssimos em usá-los e acabam se ferrando por causa deles. Por causa de uma briga causada por Ethan no passado, o grupo está afastado uns dos outros, até que o próprio Ethan liga para os amigos pedindo ajuda porque seu poder o deixou em apuros de novo. Então o grupo se reúne para ajudá-lo, apesar dele ter sido responsável pela briga e pela encrenca em que se meteu.

Temos seis personagens principais com habilidades ou super poderes que, na maioria das vezes, mais atrapalham do que facilitam suas vidas. Ethan, por exemplo, tem uma “voz” que fala para as outras pessoas aquilo que elas querem ouvir para que ele consiga o que quer, mas às vezes nem ele sabe muito bem o que quer e na emoção acaba fazendo coisas que ele não quer acontecerem e se metendo em mil confusões rs. Outra personagem a Riley é cega e só pode ver pelos olhos das outras pessoas. O Thiboult consegue ficar invisível em uma multidão e as pessoas esquecem que ele estava ali quando não estão mais prestando atenção. Chizara pode dominar qualquer tecnologia. Nate pode unir um grupo para cumprir um único objetivo. E Kelsie pode dominar a energia e as emoções de um grupo.

O enredo e roteiro do livro podem ser um pouco chatos, porque foca muito mais nos personagens do que nas grandes aventuras que os personagens possam se meter. Esse é o primeiro livro de uma trilogia, sobre SUPER PODERES ainda por cima, obviamente é um livro de origem, de apresentação dos personagens, para entender motivações etc. Sabendo disso, acho que pecou um pouco no personagem do Nate/Bellwether/Glorious Lider, ele é o que menos sabemos a história da vida, sabemos apenas que ele é de uma família de políticos e que ele pretende ser político também quando tiver idade. Fora isso, podemos apenas supor e olha tenho uma teoria de que ele tem potencial para vilão nos próximos livros.

Os demais personagens são extremamente complexos e bem construídos, com motivações bem sólidas e isso nos ajuda muito a entender a simpatizar com eles. Isso é muito importante porque na maioria das vezes as motivações do Ethan parecem muito absurdas e bobas, mas quando entendemos a história de vida dele a gente fica “aah” ❤

Outro é o Thiboult, que tinha tudo para ser o personagem “esquecível” do livro, por causa de seus super poderes, mas ele acaba sendo um dos personagens mais fofos e complexos e bem explorados do livro ❤ Ironicamente, o relacionamento dele com a Riley fez com que ele fosse visto de uma maneira mais sólida e mais permanente. E a conversa dele com Ethan no quarto de hotel é uma das melhores do livro ❤ É um personagem muito real e humano e crível. E com uma filosofia de vida maravilhosa rs

Wisdom tells me I’m nothing. ❤

E a Chizara ❤ Que também tem dúvida quanto se deve usar ou não seus poderes, porque ela acha que seu poder tem muito potencial para a destruição, visto que ela pode destruir a tecnologia, por isso, ela sempre evita ir a hospitais ou prisões ou shopping-centers, qualquer lugar que precise muito da tecnologia para funcionar corretamente. É lindo esse conflito dela porque tudo que ela quer é ficar longe do zumbido da tecnologia por um momento ❤ E isso é TÃO difícil na nossa sociedade moderna!

A narrativa do livro é fluida e divertida, não parece que foram escritos por três pessoas, parece que todos os ponto de vistas foram bem estruturados, planejados e roteirizados. A narrativa do livro é fluida e divertida, não parece que foram escritos por três pessoas, parece que todos os ponto de vistas foram bem estruturados, planejados e roteirizados. Adorei também o fato de às vezes os autores dão a entender que até as pessoas que não tem superpoderes, podem ter algum tipo de habilidade especial. Tipo a irmã da Riley que lê para ela histórias, já que ela é cega, e essa relação delas seria a habilidade especial delas. E a mãe da Chizara que tem “O Olhar”! São coisas muito sutis mas que achei genial de observar nos outros personagens.

O Scott Westerfeld deu a entender em algumas entrevistas que ele que organizou o livro e juntou os capítulos e olha acho que fez um ótimo trabalho ❤ Tenho meus palpites de quem escreveu o quê, mas é muito intuição e provavelmente irei errar alguns rs.

Sou suspeita para falar de livros do Scott Westerfeld, já li todos os livros dele publicados do Brasil e alguns dos que AINDA não foram publicados, como o Zeroes. Me considero muito fã do trabalho dele ao ponto de já entender como ele trabalha e constrói seus livros, provavelmente, por isso, eu gostei MUITO de Zeroes.

Eu acho que muita gente esperava aventuras mil no livro e não irá encontrar! É um livro movido pelos personagens, você tem que gostar deles para sentir vontade de continuar lendo. Por isso, eu entendo gente que não gostou tanto assim, mas apenas o Nate é um personagem menos interessante, e que pode parecer chato e vazio, mas eu acho que ele irá nos surpreender nos próximos livros e vou continuar lendo e acompanhando porque eu senti um cliffhanger no final e to curiosa pra saber o que eles vão fazer!

Nota: 4.5/5

Anúncios

Um comentário sobre “Zeroes (Scott Westerfeld)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s