Capítulo 3: Decisões;

CAPÍTULO TRÊS: DECISÕES;

– Está com fome? – Edward me perguntou quando acabou o filme.

Eu olhei para ele, estava com aquela expressão de que iria me obrigar a comer alguma coisa mesmo que quisesse, aquela expressão preocupada e teimosa.

– Claro – disse e ele imediatamente se pôs de pé para me acompanhar à cozinha.

Eu não entendia o porque deles manterem a cozinha sempre tão abastecida, já que não comiam nada. Desconfiava que era apenas para “fazer capa” no supermercado. Quer dizer, alguém que em uma cidade tão pequena quanto Forks e não fazer compras iria chamar a atenção das pessoas e elas começariam a suspeitar…

Edward passou a mão pela minha cintura e me guiou o caminho todo até a cozinha. Tivemos que pegar um caminho mais longo, pensamos no quanto Alice ficaria decepcionada se aparecêssemos e víssemos a sua brilhando decoração antes do tempo, era capaz de querer mudar tudo de novo e isso seria desgastante.

Edward me contava:

– Compramos o cereal que você tanto gosta.

– Você sabe que não era necessário – respondi, com um sorriso sem-graça. – Não quero ser um incomodo.

– Você nunca é, Bella – ele disse, sorrindo.

– Então, por que vocês mantêm a geladeira sempre cheia? – perguntei, curiosa.

– Bom, não apenas porque temos uma humana enxerida que sempre está por aqui, com certeza – disse, e senti que se referia à mim. – Mas também porque, de vez em quando, aparecem visitas inesperadas e precisamos ter o que oferecer para elas.

Fiquei imaginando que tipo de visitas inesperadas apareciam por ali, afinal, os Cullen não eram de ter amizades fora da família.

– Você fica sempre tão carente no dia do seu aniversário? – perguntei, porque eu realmente estava estranhando, Edward estava se comportando de uma maneira tão feliz, não que isso fosse um problema, era apenas curioso.

– Não – ele riu. – Mas, é como você disse, é meu primeiro aniversário que passo com você, Bella. Ele é muito especial para mim.

Senti um frio na barriga depois dessa, ele era sempre tão lindo. E eu nem sempre conseguia responder à altura. Por sorte, desta vez não precisei responder, pois havíamos chegado à cozinha.

Ela estava impecavelmente limpa, como nova, apesar de eu ter uma idéia de que não era tão nova assim. Podia ver meu reflexo em cada copo guardado no armário. Eu não havia me acostumado com isso, era impossível se acostumar com isso, era tão surreal. Imaginava quantos dias eu levaria para conseguir trazer o mesmo nível de limpeza para a cozinha de Charlie, acabei por desistindo. Isso seria enlouquecedoramente desgastante.

Me adiantei para a geladeira com Edward me acompanhando ainda com as mãos em minha cintura. Abri-a e peguei o leite, o coloquei em cima do balcão e peguei, cuidadosamente, uma tigela em um dos armários e logo em seguida capturei o cereal que ele havia mencionado.

Me servi de um pouco, guardei o leite de volta à geladeira e peguei uma colher em uma das gavetas existentes no balcão. Sentia-o bem perto de mim, suas mãos acariciavam levemente minha cintura, me desconcentrando enquanto colocava uma colherada na boca.

O senti se inclinar levemente, beijar e apoiar sua cabeça em cima da minha. Continuava me acariciando lentamente com a ponta de seus dedos, me arrepiei sentindo seus dedos frios encontrarem com a barra de minha blusa. Eu ainda segurava a colher, mas não sentia que tinha fôlego suficiente para mais uma colherada.

– Edward – comecei, quase sem voz. – Você é obsceno.

Ele não disse nada, apenas deu uma de suas lindas risadas, como se o que eu tivesse dito não passasse de uma piada.

Ele afastou meus cabelos de meu pescoço e encostou sua boca gélida naquele local, estremeci. Eu já estava respirando com dificuldade, tentando fazer com o batimento acelerado de meu coração se acalmasse.

Ele roçava seus lábios ali calmamente, eu sabia que ele não iria me morder. Estava apenas sentindo o aroma, como já havia feito diversas vezes antes.

– Termine de comer, Bella – ele disse, inesperadamente contra meu pescoço.

Suspirei.

– Não posso – respondi. – Você me desconcentra.

Ele sorriu, gostosamente. Me deu um último beijo no pescoço e se desencostou um pouco de mim, porém sem largar-me.

– Prometo não desconcentrar mais – disse, divertido.

Me virei para ele e lhe abracei, estávamos perto novamente.

– Eu gosto quando você me desconcentra – sussurrei.

Nos afastou sorrindo e disse: – Coma, Bella.

Eu me virei e o fiz, ele não parou de acariciar minha cintura, embora. Assim que acabei a refeição, Alice e Jasper entraram na cozinha.

– Bella – ela me disse. – Venha comigo um minutinho? Preciso falar com você.

Edward ficou rígido e controlado demais, como se não tentasse demonstrar algum sentimento que o dominava. Não sabia se era raiva ou apenas decepção.

– O que aconteceu? – perguntei aos três que me cercavam.

– Billie acabou de ligar. Jacob quebrou a perna – Edward disse, sem emoção. – Ele quer você ao lado dele, já que Billie também está em cadeira de rodas e os dois não podem andar.

Olhei para Alice.

– É, isso – ela confirmou, agitada, parecia preocupada que sua festa fosse cancelada. – Vamos deixar vocês à sós agora. Qualquer coisa, nos encontre na sala de jantar.

Após dizer isso, seguiu com seus delicados passos de bailarina para fora da sala, Jasper a seguiu rapidamente.
Ficamos em silêncio.

Jacob estava de perna quebrava, estava precisando de mim. Eu deveria ir? Ou ficar?

Era o que eu tinha que decidir, precisava decidir se iria ajudar a quem havia me ajudado no momento mais sombrio de minha vida ou deveria permanecer ao lado de quem causaria essa mesma depressão.

Não havia nada para pensar, nem sei porque hesitei ao decidir o que fazer. Eu sabia exatamente o que deveria ser feito. Porém antes que eu pudesse expressar minha decisão em voz alta, Edward disse:

– Tudo bem, meu amor – Não olhava para mim enquanto dizia essas palavras. – Vá. Eles precisam de você lá.

O fitava incrédula, ele realmente acreditava que eu fosse escolher ficar com Jacob, ao invés de ficar com ele.

– Você acha mesmo que vou abrir mão de sua companhia bem no dia de seu aniversário? – perguntei, ofendida.

– Bom, Jacob é seu melhor amigo, Bella – ele se explicava. – Eu apenas acho que você devesse ir cuidar dele.

– Não, Edward, – eu disse. – Você não pode mesmo achar isso! Você tem que achar que tenho que ficar ao seu lado. Seja um pouco mais egoísta, por favor!

Eu usei um tom implorador nessa última parte. Às vezes o Edward inventava de abrir mão das coisas que ele queria, simplesmente, porque julgava melhor assim. O pior que ele já fez foi me abandonar em Forks sozinha, foi quando mergulhei em um estado bastante preocupante chamado depressão.

– Não abra mão de mim, Edward – disse, ainda meio que implorando. – Você não entende? Eu fico me sentindo como se você, simplesmente, quisesse arranjar qualquer desculpa para me afastar de você.

– Eu não quero que você se afaste de mim – ele murmurou para mim. – Mas não vou prendê-la. Você é livre para ir e vir, a hora que você quiser. Vou ficar esperando por você, minha Bella.

Fala sério! Será que ele não via? Ele estava abrindo mão de mim, simplesmente, não queria me fazer ficar, não iria nem ao menos tentar me convencer de que era melhor que eu ficasse com ele nesse dia especial. Edward era muito tolerante e isso estava me matando.

O fitei por um momento ou dois, antes de dizer algo.

– E eu amo ter essa liberdade de escolha. – Sorri. – Mas eu já escolhi e prometi ficar com você hoje. Além de que, à esta altura, depois de tudo pelo qual passamos, acho que você já devia ter entendido que eu sempre vou escolher você.

Me aproximei dele e encostei meus lábios nos seus em um selinho. Ele ainda pareceu esperar por alguma outra reação minha, porque não disse nada, apenas ficou me olhando.

– Então, – eu quebrei o silencio – vamos ver algum filme de Tim Bourton? – perguntei o observando, esperando uma resposta.

– Você não vai nem ao menos ligar para saber se ele vai sobreviver? – me perguntou, me olhando curiosamente.

– Ele está bem – disse, segura. – É apenas um lobo querendo atenção.

E eu não iria dar esse prazer a ele. Edward era minha vida e, portanto, mais importante do que ele neste momento.

FIM DO CAPÍTULO TRÊS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s