Booktube-A-Thon: Dia #4 – A Escolha (Kiera Cass)

2014-07-16 10.35.15

Autor: Kiera Cass

Ano: 2014

Resenha: Devo dizer que esse livro valeu a série inteira. Finalmente meus anseios foram atendidos e me senti satisfeita por ter lido todos os livros. Ele não apaga a besteira que foi o livro anterior, mas com certeza representa e é um encerramento fantástico pra série.

No terceiro e último livro da série, nosso casal principal parece mais forte e unido por todas as adversidades que encontram. America e Maxon ainda se sentem inseguros com relação aos sentimentos um do outro, nenhum quer ser o primeiro a dizer que ama o outro, o que me incomoda extremamente. Eles continuam são covardes nesse sentido, mas isso por fim é resolvido nos últimos capítulos do livro 😉

Adorei o companheirismo que demonstraram, principalmente nas cenas em que planejavam juntos as coisas, como a visita ao covil rebelde. Eu acho que a relação honesta deles foi uma ótima proposta e apesar de eu ter ficado um pouco decepcionada de America não ter começado esse objetivo falando da posição de Aspen no castelo, entendi a necessidade que a autora tinha de guardar isso para mais pra frente.

Também gostei de como a relação entre as concorrentes ficou mais interessante, mais amigável. Principalmente a relação de America com Celeste, achei muito especial e muito rica pra construção da história que se arrisca a falar de igualdade e inclusão social.

SPOILER: E lógico que fiquei feliz por minha teoria do pai dela ser rebelde estar certa! Se isso tivesse sido revelado no livro anterior, eu diria “nossa, que previsível”, então preferi a revelação como ela foi feita. (E esta resenha tá só SPOILER! Desculpa, mas é o encerramento da série, preciso falar como me senti sobre tudo que acontece).

Agora, sempre tem algo que incomoda não é verdade? Bem, foi só dizer que por um momento achei que America fosse vidente e que lia a mente de todos que encontrava, porque ela sempre imaginava que todos estavam lembrando das mesmas cenas que ela nos mesmos momentos, rs. Esquisito. A sensação abaixo acontece algumas coisas durante o livro:

Imaginava que Aspen fazia o mesmo que eu naquele momento: repassava toda a nossa história em sua cabeça. (p. 152)

SPOILER: Além disso, achei um pouco forçado no final o Príncipe Maxon dar uma de espertalhão e de que já estava planejando o tempo todo banir as castas e salvar o mundo e etc. Não acreditei nisso, porque meio que sinto que ele contaria isso como meio de conquistar a confiança e admiração dela. Ainda, queria mais informações sobre o envolvimento de Kriss com os rebeldes, como ela se aproximou deles e essas coisas.

Comparado com os outros livros da série, esse foi o que mais elogiei e gostei de ler, me diverti. Foi legal ver como America evoluiu para a personagem que eu gostaria que ela fosse, uma líder forte e digna de ser princesa, e Aspen também teve um final extra especial, que eu achei lindo e merecido ♡

Anúncios

Booktube-A-Thon: Dia #3 – A Elite (Kiera Cass)

2014-07-16 10.35.15

Autor: Kiera Cass

Ano: 2013

Resenha: Esse livro foi um sofrimento inacreditável para mim. Levei dois dias para ler, o que praticamente acabou com a minha esperança em conseguir ler todos livros da  Booktube-A-Thon a tempo :/

No segundo livro da série, nossa personagem principal está enfrentando um problema de confiança, tanto nela quanto no príncipe, a insegurança reina na cabeça de America e isso passa a ser a única coisa em que consegue pensar. No começo, o Príncipe Maxon inventa uma festa de Halloween que desde o primeiro momento considerei desnecessária, a única verdadeira utilidade da festa foi finalmente trazer os pais das candidatas ao castelo. Foi interessante a relação do príncipe com o pai de America, foi divertido ver a animação de May naquele lugar que ela tanto admira e a mãe parece que pelo que conhecíamos deveria ser a mais empolgada com a festa e o ambiente no palácio ficou apagada e esquecida em todos os momentos.

 Eu acho que idealizo muito essa história, houve momentos em que eu queria pegar a caneta e escrever a história eu mesma. Na cena em que o America conta ao pai sobre o diário de Gregory Elléa, pelo extremo interesse e curiosidade do pai, eu esperei e ansiei muito para que ele fosse um rebelde, os quais eu também tenho esperança de que estejam procurando o cômodo cheio de livros e documentos históricos (não me decepcione nisso, Cass!). Quão incrível seria se o pai dela fosse rebelde? Demais para acontecer realmente, pelo visto. Não aconteceu… Até agora, pai é apenas muito fã de história mesmo.

Importante você saber que aconteceu alguma coisa com Marlee e America culpa o príncipe, e. apesar de todas as explicações e pedidos de desculpa, insiste em desconfiar dele e afastá-lo o tempo todo. Ela deixa o clima entre os outros insuportável e se lamenta em todos os momentos que percebe Maxon se aproximando de outras meninas, como se pudesse cobrar algo dele depois de como o está tratando! Falta à personagem: coragem e rebeldia. O único verdadeiro ato que me orgulhei dela ter feito, ela chora de arrependimento e pede desculpas a todos assim que o faz. Pelo amor de Deus! Leve suas decisões até o final, ao invés de dizer que está agindo simplesmente por impulso. Quero uma personagem forte pela qual me apaixonar, a única concorrente que é de casta inferior… E isso não encontro em America.

Não estou dizendo que o príncipe é coitadinho e inocente nisso. Desde o começo, ele entende a insegurança de America sobre ser adequada ao cargo de princesa e ele simplesmente a deixa se afastar e não a faz se sentir segura em momento nenhum. Simplesmente vai buscar companhia de outras, esperando que ela caia na real e decida tudo por si mesma. Mas não é assim que acontece! Logicamente, ninguém fica autoconfiante e segura de si do dia pra noite! Ela precisava do apoio dele e ele falhou nisso durante o livro inteiro.

No final, eles têm uma cena que era pra ser linda, cheia de amor e declarações. Só que não funciona. Os sentimentos são ditos no passado e parecem desgastados e muito distante no tempo, que ninguém eu conseguiria acreditar que ainda  é possível retomá-los. Eu sinceramente preferiria que ela voltasse para sua família mesmo e de lá o príncipe conseguisse alguma estratégia para fazê-la voltar à Seleção. Mas de novo, isso não acontece. Ele sempre consegue mantê-la no palácio…

Para mim, os personagens se mostram mais fracos e sem personalidade a cada livro. Eles me deixam completamente irritada com suas motivações e atitudes. E sinto que seria possível escrever uma história mais interesse e empolgante, onde as coisas que acontecem fossem surpreendentes e inesquecíveis. Como já disse antes, a única parte que fiquei verdadeiramente empolgada com o que estava acontecendo foi na cena de rebeldia de America, a qual ela só faltou implorar perdão pra Deus e o mundo. Espero que o próximo livro, com a relação entre a menina e o rei esquentando, nos dê final que valha a pena, porque o primeiro livro foi extremamente superior a esse aqui.

Booktube-A-Thon: Dias #2 – The Selection (Kiera Cass)

2014-07-16 10.35.15

Autor: Kiera Cass

Ano: 2012

Resenha: A série Seleção narra a história de uma adolescente, America Singer, que vive numa sociedade dividia em castas. As castas são numeradas de 1 a 8 de acordo com a importância do trabalho das famílias, cada casta possui uma função social. America é da casta 5, cujo trabalho é artístico, como escultura, música, pintura. Raramente, uma menina de casta superior casa com alguém de casta inferior e têm sua casta reduzida, portanto, ela vive um relacionamento amoroso com Aspen, de casta 6, ou seja, os servos.

A família de America não possui muito dinheiro, então quando surge a oportunidade dela participar da Seleção, concurso para escolher a esposa do príncipe, sua família fica animada e incentiva que se inscreva. Aspen preocupado com o bem estar dela, também insiste que ela se inscreva e,  assim, ela acaba sendo escolhida como uma das 35 garotas convidadas a morar no castelo até que o príncipe escolha dentre elas sua princesa. America não tinha intenção em levar  competição a sério, até que antes de partir Aspen decide terminar com ela, o que deixa magoada e decidida a dar o melhor de si para ficar mais tempo no castelo e longe do ex namorado e de sua cidade.

Quando conhece o príncipe, America é sincera com ele, conta sua história e se propõe a ser amiga dele e sua aliada na escolha da futura princesa, mas obviamente não contava com o charme dele para evitar que se apaixone.

O primeiro livro tem uma premissa ótima, seria engraçado observar America tentando ajudar o Príncipe Maxon a escolher a esposa enquanto se apaixona por ele, teria sido encantador vê-la se apaixonar pelo príncipe primeiro como amigo e então como namorado. Mas isso não acontece. Não gostei da forma como foi conduzida a história, não era como eu gostaria que fosse. Eu gostaria que America fosse amiga do príncipe no sentido de ajudá-lo a falar as coisas certas nos encontros e a agradar as meninas, gostaria que ela fosse espiã dele no meio das candidatas a princesa… No livro contei apenas uma dica de conquista que ela deu, sobre como consolar uma menina quando ela estiver chorando.

Eu queria que houvesse mais. A expectativa de que a história pudesse ser ótima foi pelo ralo quando percebi que America era uma menina reclusa e pouco se relacionava com as outras meninas, como ela poderia ser aliada do príncipe e ajudá-lo em suas escolhas se ela mesma não conhecia direito as outras princesas? Acho que ela nunca teve a intenção de ajudá-lo mesmo. Se o príncipe não se sentiu enganado, bem, eu me senti!

SPOILER: gostei do Aspen ter sido designado como guarda do castelo, porém queria que America tivesse dito que já o havia esquecido, mesmo que não estivesse com o príncipe.

Ao todo, o livro me prende por uma expectativa de que vai acontecer uma GRANDE cena de romance entre nosso príncipe e America, mas a cena que acontece entre eles não foi grande o suficiente, de novo, para minhas expectativas. Não há grandes declarações de afeto, pois obviamente nem America nem o príncipe são bons com palavras. E a menina ainda teima em achar que gosta mesmo é do Aspen, o que é mentira e todos já sabemos a esta altura. Ela parece não querer abandonar a certeza de ter ele e se apega a memórias do passado, o casal que eles costumavam ser antes de tudo. Enfim, é um livro bom, mas peca muito na covardia e falta de criatividade.

Booktube-A-Thon: Dia #1 – Os Invisíveis (Grant Morrison)

2014-07-16 10.32.01Autores: Grant Morrison (roteiro); Steve Yeowell (arte); Jill Thompson (arte); Dennis Cramer (arte)

Ano: 1994 (Vertigo); 2014 (Panini)

Resenha: Os Invisíveis conta uma historia de luta e resistência contra a liberdade de expressão e pensamento. O personagem principal Dane McGowan é um rebelde que não está interessado em estudar ou seguir regras, após passar por um julgamento é considerado culpado de bater em um professor, roubar um carro, invadir a escola, entre outras coisas, e é mandado para uma instituição de disciplinação de jovens, sob o pretesto de estar sob liberdade assistida.

Essa instituição deixa clara que sua intenção é disciplinar e tornar o pensamento dos jovens uniformes e de acordo com o que a sociedade espera que eles pensem. Assim, o grupo conhecidos como Invisíveis o resgata da instituição e planeja recrutá-lo para fazer parte do grupo. Mas primeiro, Dane tem que provar que é realmente rebelde e um livre pensador.

O quadrinho começa de maneira muito confusa, com personagens como o mendigo Tom, que o leitor não sabe se ele faz parte mesmo do grupo Os Invisíveis ou se ele é apenas um maluco que acha que consegue fazer mágica. Com o tempo, as coisas vão se tornando mais claras e percebe-se que Dane na verdade tem muito que aprender com Tom, que acaba assumindo se torna mentor do rapaz. As lições do sentido da vida e da morte que são passados por esse personagem são muito especiais e vale a pena prestar atenção e ler mais de uma vez para entender o que é dito ❤

Construí uma porta feita de palavras e por ela fugi. (p. 193)

 A história não é nada previsível, quando você pensa que já viu de tudo e está louco o suficiente, você é levado a uma viagem no tempo para conhecer famosos escritores e pedir a ajuda deles pra restaurar a liberdade de expressão. Eles nos faz refletir sobre o que seria da literatura sem o livre pensamento e expressão, vemos pelas lembranças dos autores do passado o que eles enfrentaram em sua época o que inspirou e os resultados de suas obras. Um deles, por exemplo,enfrentou preconceito e teve suas obras escondidas e desmerecidas, e hoje em dia ele é um mártir, uma influência e representante de um grupo muito grande de pessoas adeptos a uma certa prática sexual. (Ai, contei spoiler? Tentei enrolar, juro)

Enfim, é uma ótima história em quadrinho, com uma qualidade de roteiro incrível, porém os diálogo são malucos e meio difíceis de entender, isso é intencional, pois como eu já disse têm personagens que você simplesmente não tem certeza de que o que está vivendo com ele é real ou efeito de drogas que ele consome.

Então, BookTube-A-Thon 2014!

Olá, bem vindos a 2014!

Não estou prometendo posts mais frequentes, apenas que estarei aqui durante a Booktube-A-Thon 2014.

Isso mesmo! A Booktube-A-Thon é uma maratona de leitura de livros, que está acontecendo durante os dias 14 a 20 de julho, organizada pela booktuber americana Ariel Bissett. Ela quase me convence a fazer minha participação em vídeo também, mas não tenho o mínimo interesse por câmeras fotográficas, então, rs.

Os desafios de Leitura

  • Um livro com figuras

2014-07-16 10.32.01

Para esse desafio, escolhi Os Invisíveis, vol. 1, porque há muito tempo eu estava curiosa para conhecer o trabalho do Grant Morrison e como ele é roteirista de quadrinhos muito famosos, tipo Batman’s Arkham Asylum, e, principalmente, é o Korse ❤ de The True Lives of the Fabulous Killjoys no clipe do My Chemical Romance, preciso conhecer ele!

  • Começar e terminar uma série

2014-07-16 10.35.15

Já tinha curiosidade por esse série há tempos, eu comprei o livro faz MUITO tempo, minha irmã acabou lendo antes de mim e ela vive falando bem. É incrível porque ela dificilmente lê livros e se apaixonou pela série e já a leu inteira… Então, é minha vez de completar a série. Vamos ver!

  • Um livro com vermelho na capa

2014-07-16 10.50.47

Pra vocês verem, vou ler até dois. Antes que vocês digam alguma coisa, as regras são claras, eu posso utilizar o mesmo livro em até dois desafios 😉 Então, optei por A Elite, de Kiera Cass, que faz parte da série Seleção. E pelo Fahrenheit 451.

  • Um livro que alguém escolheu para você

2014-07-16 10.53.15

Meu irmão me indicou esse livro antes mesmo de eu decidir participar do Booktube-A-Thon. Então, vamos aproveitar e tentar ler essa semana, acho que é o mais vai me dar trabalho de completar. Ele é GRANDE!

  • Um livro do gênero que você leu menos este ano

2014-07-16 11.07.02

Obviamente, escolhi o Chamado do Cuco, de Robert Galbraith (J. K. Rowling), eu não leio nada de romances policiais e quem melhor para me fazer gostar de alguma coisa se não a sra. Rowling, não é mesmo? O tamanho desse livro também me assusta (e desafia!), mas como é dela, acho que vou devorar facilmente, rs.

  •  Uma Adaptação de livro para filme

2014-07-16 10.36.56blog-fahrenheit-451-poster

 

Neste desafio tenho que ler o livro E assistir ao filme baseado nele. Escolhi Fahrenheit 451, de Ray Bradbury, e assistirei ao filme de 1966.

  • Ler sete livros ou média de 300 páginas por dia.

IMG_20140716_105607

Ao todo, serão 7 livros, fazendo uma média de 339 páginas a serem lidas durante 7 dias.

E assim, espero consegui completar todos os desafios!

Em breve, atualizações do meu progresso no Booktube-A-Thon 😉