Book Shimmy Awards 2014

2014bookshimmyawards

Então saiu o resultado do Book Shimmy Awards 2014, uma votação popular para os melhores romances de Young Adult do ano promovida pelo site Epic Reads ❤ e eu tenho algumas opiniões sobre a premiação:

É obviamente maravilhosa a utilidade pública de votações como essa! Eu sou fangirl, então eu amo votações em que eu posso expressar meu amor pelos livros, autores e tudo. Acho extremamente válida a realização de premiações como essa, elas valorizam e MUITO o trabalho dos escritores e eu AMARIA se o Scott Westerfeld tivesse sido indicado a alguma categoria, simplesmente porque sei que ele amaria ter estado lá 🙂

Outro motivo, porque eu amo esse tipo de premiações é provavelmente pelo principal motivo: ela nos apresenta a vários livros que talvez nunca fôssemos pensar em ler se não os visse como indicadas, é uma maneira incrível de não apenas reconhecer o trabalho dos autores, mas também de divulgar esse trabalho. É tipo o Oscar, os próprios cinemas aqui do Brasil escolhem os filmes ou o tempo de cartaz também guiados pelos nomeados da premiação. Então, é sim, MUITO importante e bonito sempre que têm premiações como essa! Epic Reads tá de parabéns como sempre ❤

Continuar lendo

Anúncios

Deixe a Neve Cair (John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle)

DEIXE_A_NEVE_CAIR_1383529561B

 

Autores: John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle

Ano: 2013

Resenha: Leitura perfeita para o Natal, apesar de envolver muita neve pra nos sentirmos no Brasil 🙂

Na noite de natal, uma inesperada tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para insuspeitos encontros românticos. Em Deixe a neve cair, bem-sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. Comédia romântica com a assinatura de um dos maiores bestsellers da atualidade, o livro é o presente de Natal perfeito para os fãs de John Green e de histórias de amor e aventura.

O livro é composto de 3 contos que se relacionam entre si, sendo que cada conto foi escrito por um autor. A premissa dos contos é bem simples, não tem grandes e incríveis plots e no quesito aventura ou ação o conto do John Green é mais agitado. De um modo geral, o foco principal é o romance, abordando uma perspectiva da Natal como um época de renovação e fortalecimento de vínculos entre as pessoas, o que é muito fofo.

Continuar lendo

Estilhaça-me (Tahereh Mafi)

110786585_1GG

Autor: Tahereh Mafi

Ano: 2011

Resenha: Estilhaça-me e a sensação de “Por que eu demorei tanto pra ler esse livro?”

O livro conta a história de uma jovem chamada Juliette, que se encontra trancada em um hospital psiquiátrico por suas habilidades incomuns: quando ela toca as pessoas, elas geralmente morrem. Enquanto isso, o mundo como ela conhecia está desmoronando, “doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada.” O Reestabelecimento está tomando conta do país, eles controlam as forças armadas e as produções e os mantimentos pras pessoas, contanto que elas não os contradigam. Logo, Juliette terá que escolher entre se tornar uma arma do Reestabelecimento ou lutar contra esse sistema.

O premissa do livro é muito interessante, possui elementos legais de distopia. Antes de ler o livro, eu ouvia muita gente comparando com X-Men, e lembra sim, afinal, ela tem o mesmo poder que a Vampira. Mas a personalidade da Juliette é bem diferente da Vampira, o que ao mesmo tempo torna as coisas  um pouco diferentes. Ao todo, não achei uma história super criativa ou inédita no sentido do que acontece no tempo presente, mas a história de vida dos personagens é muito interessante, então 🙂

A narrativa é linda e um pouco quente, as frases que a Juliette fala parece que foram muito bem pensadas pela Mafi. Ela tem um jeito único de se expressar, como se cada palavra expressasse não só os sentimentos mas também a própria personalidade da personagem e a cada palavra você sente que a conhece um pouco mais ❤ E quente no sentido de meu deus, parece que a qualquer momento os personagens vão se pegar e tal.

Apesar disso, tem uma parte que a narrativa fica lenta e você fica apenas esperando que algo aconteça e a coisa demora mais do que necessário a acontecer. Continuar lendo

Mentirosos (E. Lockhart)

MENTIROSOS_1410223052B

Autora: E. Lockhart

Ano: 2014

Resenha: Esse livro é maravilhoso e sensível e me deixou chorando por horas 😥

Vamos à sinopse:

Cadence vem de uma família rica, chefiada por um patriarca que possui uma ilha particular no Cabo Cod, onde a família toda passa o verão. Cadence, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat (os quatro ‘Mentirosos‘) são inseparáveis desde os oito anos. Durante o verão de seus quinze anos, porém, Cadence sofre um misterioso acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos, tentando juntar as lembranças sobre o que aconteceu.” (sinopse oficial Editora Seguinte)

A premissa do livro é interessante, não é inédita ou sensacional, porque né vários livros já tem essa temática de relembrar das coisas e trazer flashbacks e essas coisas, mas é explorada de uma forma verdadeira, afinal, é um romance contemporâneo. Só pra citar alguns exemplos de livros com esse mistério de lembranças: Série Reiniciados (Terri Tery), Deslembrança (Cat Patrick), Gata Branca (Holly Black). Enfim, romances que mechem com lembranças e coisas esquecidas temos de monte, acho que a diferença está em onde isso tudo termina. Esse final, é o diferencial e é uma das melhores coisas sobre o roteiro ❤

Continuar lendo

Os Primeiros Dias (Scott Westerfeld)

Vampiros-em-Nova-York-Os-primeiros-dias-Scott-Westerfeld Autor: Scott Westerfeld

Ano: 2008 (no Brasil)

Resenha: Hoje faz exatamente 02 anos desde o primeiro evento com o Scott Westerfeld no Brasil e trago pra vocês a resenha do primeiro livro que li dele (e um dos meus favoritos até hoje ❤ ).

Os Primeiros Dias conta a história de Cal Thompson, que após passar a noite com uma mulher, foi infectado com um parasita que o deixa com vontade de consumir carne de outras pessoas, e entre outras habilidades, como melhora sua visão noturna, olfato e paladar, o parasita também aflora seus desejos sexuais, assim, o induz a propagar o parasita para outras pessoas. Cal se transformou em um Peep, conhecido popularmente como um vampiro.

A premissa do livro é muito interessante, juntar ficção científica a uma criatura fantástica como vampiros é algo difícil, principalmente pela consistência que o livro pede (e que o próprio Scott queria). Eu diria que esse livro se destaca de outros livros sobre vampiros, principalmente por esse aspecto científico e com essa a preocupação do Scott em ressaltar isso, é notável o quanto o ele se importa e gosta desse tema, tenho a impressão de que ele não apenas foi “obrigado” a estudar e pesquisar sobre parasitas e como eles funcionam, ele simplesmente REALMENTE se interessa por isso e tem a pretensão de fazer com que o leitor se interesse também por isso! (Totalmente funcionou muito comigo 🙂 )

Continuar lendo

A 5ª Onda (Rick Yancey)

5aOnda

Autor: Rick Yancey

Ano: 2013

Resenha: O que dizer dessa série que conheço a pouco tempo e já considero pacas?

A 5ª Onda se trata de um apocalipse alienígena. Os aliens descritos no livro, não são aqueles monstros verdes que querem ser nossos amigos ou estão aqui em nome de uma causa maior para salvar o planeta da humanidade. Não. Aqui, eles vieram para dominar a terra e ficar com ela, só que eles não são legais e não querem dividi-la com os seres humanos, então eles começaram com várias “ondas” de ataque para exterminar a humanidade do planeta em que eles querem morar.

Vai aqui o texto da contra capa do livro mesmo! Tá difícil de resumir o enredo principal rs

“Cassie esta sozinha, fugindo dos Outros. Ela vive em uma Terra devastada, onde qualquer pessoa até mesmo uma criança, pode ser o inimigo. Um inimigo que parece humano, que espreita em todos os lugares, pronto para aniquilar os últimos sobreviventes. Permanecer sozinha é permanecer viva – Cassie acredita nisso até encontrar Evan Walker. Mas será que ela pode confiar nele? Será que ele pode ajudá-la a resgatar o irmão?

Chegou o momento em que Cassie deve escolher entre a esperança e o desespero, entre enfrentar os Outros ou se render ao seu destino, entre a vida ou a morte. Entre desistir ou lutar!”

A história é narrada em primeira pessoa, porém a cada capítulo o foco muda entre 4 personagens que estão, de um modo geral, afastados um do outro. Por isso, minha dúvida, devo dizer que a Cassie é a personagem principal ou devo dizer que os 4 são personagens principais? No início do livro, certamente a história da Cassie é a parte central, por ela que descobrimos como se deu a invasão alienígena, pelo que ela teve que enfrentar com sua família e pelo que ela teve que enfrentar mesmo sozinha.

Continuar lendo

A Torre Acima do Véu (Roberta Spindler)

imagem

Autor: Roberta Spindler

Ano: 2014

Resenha: Roberta Spindler também é coautora da série de fantasia Contos de Meigan, uma que eu gostei muito, muito, e fiquei orgulhosa de ser conterrânea das autoras ❤ (minhas observações sobre o primeiro livro dessa série pode ser encontrada no skoob) Assim, com essa expectativa de já ter lido algo dela, comecei a ler seu novo romance, A Torre Acima do Véu.

A Torre Acima do Véu se passa em um universo em que as cidades entre Rio de Janeiro e Buenos Aires foram tomadas por uma névoa venenosa, obrigando os cidadãos dessas cidades a morarem em megaedifícios de mais de 300 andares, que formam a megacidade Rio-Aires. O maior e principal megaedifício é a Torre de Comando, onde o mora o Presidente Emir, um jovem que herdou o título do pai, que foi o idealizador da Torre. Ao redor da Torre, os edifícios são divididos por setores, sendo 1 a de pessoas que vivem com maior conforto e segurança e a 4 a de pessoas que vivem menos. (Você pode entender melhor como funciona essa história de Zona visitando o blog da autora, ela explica de maneira muito legal e ainda tem um MAPA *-*-* que totalmente deveria ter ido pro livro)

Enfim, a personagem principal da história é Beca, uma adolescente, que cresceu como um tipo de “caçadora de recompensas”, que trabalha com o pai e o irmão, Edu. Eles arrumam coisas valiosas da era de Antes do Véu e as vendem ou trocam no mercado negro. Um dia, o pai de Beca chega com uma missão para recuperar um cubo de luz misterioso, nessa missão eles se unem a Rato, um jovem traiçoeiro que também trabalha no ramo. Depois da missão, em que acabam perdendo o cubo, eles descobrem que na verdade o cubo de luz pode conter informações sobre a origem da névoa e as criaturas que a habitam, os Sombras. Como eles perderam o Cubo de Luz, Emir lhes passa uma missão ainda mais perigosa, que pode levar a mais descobertas sobre a Névoa contagiosa, que mudou suas vidas.

Continuar lendo

Fangirl (Rainbow Rowell)

Sem título

Autor: Rainbow Rowell

Ano: 2013

Resenha: Não sei se tenho palavras suficientes pra dizer o quanto esse livro é especial. Eu sou a Cath. Ou fui. Menos a parte de escrever romances, isso não sou. Mas esse livro narra a adolescência de milhares de jovens pelo mundo inteiro. Jovens que leem ou escrevem fanfics, que esperam mais de 2 horas numa fila pelo lançamento de um livro, que participam de fandoms. Esse livro é uma verdadeira homenagem a esse mundo online, em que tudo pode ser possível apenas se você acreditar, um mundo que eu tenho muito carinho e respeito porque vivi nele ❤

Enfim, Cather Avery é uma adolescente que escreve fanfiction de uma série de livros de fantasia Simon Snow (que não existe na vida real, mas dá a entender que tem um sucesso equivalente a Harry Potter), e é muito conhecida no fandom da série com várias histórias, inclusive a última e mais recente “Carry On, Simon”. Com a eminencia do lançamento do último livro da série, Cath está ansiosa em terminar essa última fanfic e lançar um final à sua história junto com o final original. Além disso, está indo para a universidade e se sente nervosa porque não morará mais com a irmã gêmea, Wren, que é sua melhor amiga e compartilha o mesmo amor pela série de livros. Ao invés disso, dividirá o quarto com uma estranha, o que a deixa nervosa, pois não gosta de estar num ambiente com muitas pessoas que não conhece.

Continuar lendo

Booktube-A-Thon: Dia #4 – A Escolha (Kiera Cass)

2014-07-16 10.35.15

Autor: Kiera Cass

Ano: 2014

Resenha: Devo dizer que esse livro valeu a série inteira. Finalmente meus anseios foram atendidos e me senti satisfeita por ter lido todos os livros. Ele não apaga a besteira que foi o livro anterior, mas com certeza representa e é um encerramento fantástico pra série.

No terceiro e último livro da série, nosso casal principal parece mais forte e unido por todas as adversidades que encontram. America e Maxon ainda se sentem inseguros com relação aos sentimentos um do outro, nenhum quer ser o primeiro a dizer que ama o outro, o que me incomoda extremamente. Eles continuam são covardes nesse sentido, mas isso por fim é resolvido nos últimos capítulos do livro 😉

Adorei o companheirismo que demonstraram, principalmente nas cenas em que planejavam juntos as coisas, como a visita ao covil rebelde. Eu acho que a relação honesta deles foi uma ótima proposta e apesar de eu ter ficado um pouco decepcionada de America não ter começado esse objetivo falando da posição de Aspen no castelo, entendi a necessidade que a autora tinha de guardar isso para mais pra frente.

Também gostei de como a relação entre as concorrentes ficou mais interessante, mais amigável. Principalmente a relação de America com Celeste, achei muito especial e muito rica pra construção da história que se arrisca a falar de igualdade e inclusão social.

SPOILER: E lógico que fiquei feliz por minha teoria do pai dela ser rebelde estar certa! Se isso tivesse sido revelado no livro anterior, eu diria “nossa, que previsível”, então preferi a revelação como ela foi feita. (E esta resenha tá só SPOILER! Desculpa, mas é o encerramento da série, preciso falar como me senti sobre tudo que acontece).

Agora, sempre tem algo que incomoda não é verdade? Bem, foi só dizer que por um momento achei que America fosse vidente e que lia a mente de todos que encontrava, porque ela sempre imaginava que todos estavam lembrando das mesmas cenas que ela nos mesmos momentos, rs. Esquisito. A sensação abaixo acontece algumas coisas durante o livro:

Imaginava que Aspen fazia o mesmo que eu naquele momento: repassava toda a nossa história em sua cabeça. (p. 152)

SPOILER: Além disso, achei um pouco forçado no final o Príncipe Maxon dar uma de espertalhão e de que já estava planejando o tempo todo banir as castas e salvar o mundo e etc. Não acreditei nisso, porque meio que sinto que ele contaria isso como meio de conquistar a confiança e admiração dela. Ainda, queria mais informações sobre o envolvimento de Kriss com os rebeldes, como ela se aproximou deles e essas coisas.

Comparado com os outros livros da série, esse foi o que mais elogiei e gostei de ler, me diverti. Foi legal ver como America evoluiu para a personagem que eu gostaria que ela fosse, uma líder forte e digna de ser princesa, e Aspen também teve um final extra especial, que eu achei lindo e merecido ♡

Booktube-A-Thon: Dia #3 – A Elite (Kiera Cass)

2014-07-16 10.35.15

Autor: Kiera Cass

Ano: 2013

Resenha: Esse livro foi um sofrimento inacreditável para mim. Levei dois dias para ler, o que praticamente acabou com a minha esperança em conseguir ler todos livros da  Booktube-A-Thon a tempo :/

No segundo livro da série, nossa personagem principal está enfrentando um problema de confiança, tanto nela quanto no príncipe, a insegurança reina na cabeça de America e isso passa a ser a única coisa em que consegue pensar. No começo, o Príncipe Maxon inventa uma festa de Halloween que desde o primeiro momento considerei desnecessária, a única verdadeira utilidade da festa foi finalmente trazer os pais das candidatas ao castelo. Foi interessante a relação do príncipe com o pai de America, foi divertido ver a animação de May naquele lugar que ela tanto admira e a mãe parece que pelo que conhecíamos deveria ser a mais empolgada com a festa e o ambiente no palácio ficou apagada e esquecida em todos os momentos.

 Eu acho que idealizo muito essa história, houve momentos em que eu queria pegar a caneta e escrever a história eu mesma. Na cena em que o America conta ao pai sobre o diário de Gregory Elléa, pelo extremo interesse e curiosidade do pai, eu esperei e ansiei muito para que ele fosse um rebelde, os quais eu também tenho esperança de que estejam procurando o cômodo cheio de livros e documentos históricos (não me decepcione nisso, Cass!). Quão incrível seria se o pai dela fosse rebelde? Demais para acontecer realmente, pelo visto. Não aconteceu… Até agora, pai é apenas muito fã de história mesmo.

Importante você saber que aconteceu alguma coisa com Marlee e America culpa o príncipe, e. apesar de todas as explicações e pedidos de desculpa, insiste em desconfiar dele e afastá-lo o tempo todo. Ela deixa o clima entre os outros insuportável e se lamenta em todos os momentos que percebe Maxon se aproximando de outras meninas, como se pudesse cobrar algo dele depois de como o está tratando! Falta à personagem: coragem e rebeldia. O único verdadeiro ato que me orgulhei dela ter feito, ela chora de arrependimento e pede desculpas a todos assim que o faz. Pelo amor de Deus! Leve suas decisões até o final, ao invés de dizer que está agindo simplesmente por impulso. Quero uma personagem forte pela qual me apaixonar, a única concorrente que é de casta inferior… E isso não encontro em America.

Não estou dizendo que o príncipe é coitadinho e inocente nisso. Desde o começo, ele entende a insegurança de America sobre ser adequada ao cargo de princesa e ele simplesmente a deixa se afastar e não a faz se sentir segura em momento nenhum. Simplesmente vai buscar companhia de outras, esperando que ela caia na real e decida tudo por si mesma. Mas não é assim que acontece! Logicamente, ninguém fica autoconfiante e segura de si do dia pra noite! Ela precisava do apoio dele e ele falhou nisso durante o livro inteiro.

No final, eles têm uma cena que era pra ser linda, cheia de amor e declarações. Só que não funciona. Os sentimentos são ditos no passado e parecem desgastados e muito distante no tempo, que ninguém eu conseguiria acreditar que ainda  é possível retomá-los. Eu sinceramente preferiria que ela voltasse para sua família mesmo e de lá o príncipe conseguisse alguma estratégia para fazê-la voltar à Seleção. Mas de novo, isso não acontece. Ele sempre consegue mantê-la no palácio…

Para mim, os personagens se mostram mais fracos e sem personalidade a cada livro. Eles me deixam completamente irritada com suas motivações e atitudes. E sinto que seria possível escrever uma história mais interesse e empolgante, onde as coisas que acontecem fossem surpreendentes e inesquecíveis. Como já disse antes, a única parte que fiquei verdadeiramente empolgada com o que estava acontecendo foi na cena de rebeldia de America, a qual ela só faltou implorar perdão pra Deus e o mundo. Espero que o próximo livro, com a relação entre a menina e o rei esquentando, nos dê final que valha a pena, porque o primeiro livro foi extremamente superior a esse aqui.